Bem-vindo ao blog de Cactos e Suculentas!

Conheça mais destas plantas intrigantes, com seus espinhos e delicadas flores!

Como plantar, cuidar e seus nomes. Sempre com fotos para facilitar o entendimento.


Para navegar no blog procure no lado esquerdo os temas na listagem completa, separado por postagem;ou na lista de marcadores, separados por tema.

*** As dicas deste blog são referentes a minha experiência com o cultivo e como colecionadora.
Google
 

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Exposição de cactos no Brasil!


Molhado de chuva ... Rosa de Pedra

Esta suculenta é conhecido como Rosa de Pedra.
Aparentemente não se incomoda com a chuva ... muito pelo contrário tem se desenvolvido bem. 
Echeveria sp é o nome correto do gênero.
Muitas delas tem florido ultimamente.



Veja a foto da flor de uma variedade vermelha.



Nem toda suculenta e cacto tem "medo" de chuva.
As vezes, estas plantas encontram problemas com a alta umidade que permite que as lesmas se reproduzam causando uma lesão e consequentemente uma entrada para fungos e bactérias ... portanto, ficar mais alerta em épocas chuvosas.

Dica: as regas deste gênero podem sem mais generosas que a maioria das suculentas, mas nunca sob o sol, pois podem literalmente derreter.
Esta planta precisa de sol a maior parte do dia. Então é regar bem cedo ou no final do dia. O mais indicado é pela manhã.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Duvalia wooldridge x wooldridge

Aqui está chovendo a quase um mês ... os poucos instantes de luz do sol não são suficientes para o chão secar. E as Asclepias não estão indo bem.

Perdi algumas plantas, Asclepias, suculentas, cactos, orquídeas, begônias, ... mesmo estando protegido da chuva. Percebi que um dos fatores q tem causado problema são as lesmas que estão gostando da umidade. Mesmo com lesmicida achei algumas agora a noite devorando botões de orquídeas.

Para contrariar está Duvalia floriu. Dizem que as plantas flores em qdo estão felizes ou qdo estão em estado de perigo ... vou fazer uma nova muda! Urgente.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Além das flores ...

Muitos colecionam cactos por causa das flores, outros dos espinhos, e porque não dos frutos?
Estes dois são Mammillarias. Ambas tem flores pequenas e de cor discreta, mas para compensar suas frutificações são o destaque.


Para aprender como tirar as sementes veja a postagem: http://cactoseafins.blogspot.com.br/2008/02/fruto-dos-cactos-onde-esto-as-sementes.html
Tem tbm o vídeo: http://cactoseafins.blogspot.com.br/2008/03/reconhecendo-um-fruto-maduro-e.html

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Como cultivar Epiphyllum

* foto de João Carlos

Esta é uma flor do Epiphyllum conhecido popularmente como "Cacto Orquídea".
Na "Sociedade Brasileira de Cactos e Suculentas"(SBCS - Yahoo!Groups) o nosso colega João Carlos publicou dicas de como cultivar e autorizou a publicação aqui.
Obrigado João Carlos!

Segue abaixo as dicas! Ah! Ele pediu para acrescentar q a que a adubagem deve ser feita com moderação porque o local de origem dos Epis é pobre em nutrientes.

Abaixo o e-mail q recebemos e compartilho aqui no blog!

Algumas pessoas têm pedido algumas orientações sobre o cultivo dos Epis e seus híbridos. Estou à quilômetros de me considerar um expert, apenas tenho um pouco mais de experiência que alguns daqui do grupo.
A maioria tem pedido informações sobre adubagem, mudas e substrato.
MEIO AMBIENTE
O Epiphyllums e seus híbridos, para florirem satisfatoriamente têm que passar por um friozinho no inverno, dentro de limites é claro, um friozinho bem forte. Aqui no RS é ótimo, acho que SP, SC e PR também vão muito bem. Daí para cima não sei.
O local deve ser muito bem iluminado sem receber o sol forte à partir das 10 da manhã até a tardinha, aquele sol que não aquece.
Podem ser cultivados dentro de casa, tentando não faze-los receber luz após o anoitecer. Eles também precisam “dormir”.
SOLO
Já falei diversas vezes que utilizo ships de coco e, principalmente, xaxim que ainda tenho do tempo do meu orquidário.
Os americanos possuem misturas prontas para eles, mas basicamente é composto por:
50% de solo bem pobre em matéria orgânica
30% em matéria orgânica oriunda de compostagem bem leve ou turfa (há no Mercado Livre)
20% de areia grossa ou perlite
Um pouco de farinha de osso
O ideal é que esta mistura fique o mais leve possível, bem aerado e que não retenha água por muito tempo.
MUDAS
São feitas de folhas cortadas no verão de preferência e não logo a seguir da floração (esperar no mínimo 20 a 30 dias). As folhas devem ser velhas, saudáveis e os cortes devem ter de 10 a 15 cm de comprimento. Esperar alguns dias para que o corte seque, forme uma”casquinha” ou cicatrização e então plante. Se colocar canela em pó no corte, ajuda a acelerar a cicatrização e evita fungos.
VASOS
Preferível vasos plásticos pois retêm a umidade por mais tempo que os de barro. Os Epis não “gostam” de vasos grandes, preferem fica apertadinhos em vasos pequenos. Quando se observar que eles pararam de crescer, é hora de mudar-se o tamanho do vaso. Tomar cuidado para com as raízes, são muito sensíveis ao manuseio. Apenas transferir o torrão para um vaso maior e preencher o espaço vazio com substrato novo.

'A democracia termina quando você toma de quem quer trabalhar para dar para quem não quer'
Thomas Jefferson

joão carlos

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Gymnocalycium baldianum

Este floresce todo ano! Mas sua polinização não é tão fácil ... ao contrário da Mammillaria prolifera q sempre tem seus frutos vermelhos entre flores.

Neste caso faço as mudas através dos brotos q surgem junto aos espinhos.


Parodia ottonis

Estive acompanhando ansiosamente o desenvolvimento dos botões deste cacto, e torcendo para que o dia da abertura fosse bem ensolarado. Sem o sol a floração não é plena. Alguns botões abortam em dias chuvosos ... então ficou a expectativa. Foi um pouco mais q 1 mês ... desde o botão até hoje.

Tudo deu certo! Então segue o acompanhamento da floração!